segunda-feira, 21 de outubro de 2013

EXPOSIÇÃO: "Cazuza mostra sua cara"

Share on Tumblr
Periodo: de 22/10/2013 a 23/02/2014
               
                                      PARTICIPE DO GRUPO ENCONTRO CAZUZEIROS

Exposição do Museu da Língua Portuguesa, do Governo do Estado de São Paulo, que presta homenagem ao artista, ícone da rebeldia e da irreverência na música brasileira

Rebelde e contestador, Cazuza encarnou a figura do jovem de sua época: vivia de forma intensa e queria mudar o mundo. Entretanto, soube como poucos transformar sentimentos e paixões em poesia. Seus versos fortes e sua personalidade irreverente marcaram a história da música brasileira e vêm influenciando gerações até hoje, 23 anos após sua morte.

Batizado Agenor de Miranda Araújo Neto e conhecido nacionalmente como Cazuza, o Museu da Língua Portuguesa presta, pela primeira vez, através de uma mostra temporária, homenagem a um músico, compositor e cantor de nossa MPB
A exposição “CAZUZA mostra sua cara”, tem curadoria do arquiteto e cenógrafo Gringo Cardia.

“Com esta exposição – a primeira em sua história dedicada a um criador que se destacou como compositor e não como escritor – o Museu oferece ao público uma abordagem dupla e indissociável sobre a Língua Portuguesa e a música brasileira como patrimônios imateriais de nosso País. Nela também está presente a marca do Museu, ao oferecer aos visitantes uma experiência multissensorial de grande impacto”, afirma o Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo.

Montada no primeiro andar do Museu até o dia 23 de fevereiro de 2014, a mostra apresenta Cazuza como um dos expoentes da canção popular, que soube unir a tradição escrita à oral, fazendo a poesia circular livremente do livro para a música. “As pessoas se aproximam mais das palavras por meio da música em um país como o nosso, com uma tradição oral muito significativa. E a tradição escrita vai além dos grandes nomes da literatura: também é popular, está no sangue do brasileiro. Cazuza, afinal, era um poeta”, comenta Gringo, que contou com a consultoria da historiadora Heloisa Starling e do jornalista e crítico musical Silvio Essinger para construir a narrativa da exposição. A mostra pretende fazer o visitante embarcar em uma viagem pela obra e vida do artista, fazendo-o sair do eixo, envolver-se e emocionar-se.

“Ao expor a obra de Cazuza, o Museu da Língua Portuguesa confirma sua vocação inovadora de celebrar a língua nos seus mais variados e ricos usos. O museu já recebeu a obra de Fernando Pessoa, Guimarães Rosa e Rubem Braga, entre outros. Chegou a vez de um letrista da música popular. Esperamos com isso nos aproximar ainda mais do público”, reforça Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho.

A face política de Cazuza, autor de canções como “Brasil” e “Ideologia”, também ganha espaço na exposição. A geração do artista vivenciou o período da ditadura e participou intensamente do processo de abertura política do país. Nos anos 1980, ainda com a censura atuante, a bandeira do rock era levantada como manifestação do inconformismo. Nesse contexto, a figura libertária e a linguagem coloquial de Cazuza falavam diretamente à garotada, que transformava seus versos em slogans, em palavras de ordem. É por esse viés político que a exposição pretende conectar o compositor com os jovens de hoje.

"Há dois anos, quando procuramos a Lucinha Araújo com a proposta de homenagearmos Cazuza no Museu da Língua Portuguesa, nossa ideia já era apresentar ao público o trabalho do artista, do poeta e do músico, mas com foco na sua inquietação e no seu inconformismo diante da realidade. Naquela ocasião, nem nos passava pela cabeça as manifestações de junho deste ano, que encheram de jovens as ruas do Brasil todo, muitos deles empunhando cartazes e faixas com pensamentos e letras de músicas do nosso homenageado. Assim, temos certeza que o Museu está absolutamente sintonizado com os tempos atuais e a obra do Cazuza mais viva do que nunca!", comemora Antonio Carlos Sartini, diretor do Museu da Língua Portuguesa.

A exposição “CAZUZA mostra sua cara” é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, do Museu da Língua Portuguesa e do ID Brasil – Organização Social de Cultura , com realização da Fundação Roberto Marinho e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, contando com o patrocínio das Organizações Globo.


-A EXPOSIÇÃO

“CAZUZA mostra sua cara” e seus diferentes espaços:

1-REFLEXÃO

Entrada – “Mostra sua cara”

O percurso começa por uma grande “galeria de rostos e ideias”, com as paredes revestidas por retratos de pessoas desconhecidas. Sobre cada imagem estão estampadas frases emblemáticas de músicas do artista. O intuito é contar com a participação do público para mudar a aparência e o conteúdo da sala todos os dias. “Será uma espécie de photobooth, permitindo ao visitante fazer uma foto sua e escolher uma das frases disponíveis para anexar à imagem, que poderá, ainda, ser enviada por e-mail”, explica o curador. “No dia seguinte, algumas imagens serão selecionadas pelo Museu e fixadas nas paredes da sala durante o período de visitação, com cola, como acontece nos muros da cidade”, completa Gringo. As fotografias podem ser feitas todos os dias sempre entre 11h e 14h e entre 14h30 e 17h,após o percurso da exposição.

_Sala III – “Mergulho na mente do poeta”
Corredor de espelhos com trechos de músicas do artista escritos e projetados em leds, com efeitos que mudam a cada 30 segundos, formando o ambiente mais sensorial e emocional da mostra.

_Sala V – “Cazuza, Juventude e Rock'n roll”

Depoimentos de personalidades e amigos – como Ney Matogrosso, Lobão, Sergio Maciel, Lucinha Araújo, Bebel Gilberto e outros são apresentados em uma sala com vários monitores. Nesse mesmo espaço, especialistas como a psicanalista Viviane Mosé, o antropólogo Luiz Eduardo Soares e o escritor Silviano Santiago, entre outros, falam sobre questões relacionadas à juventude: a rebeldia, a transgressão e a universalização do comportamento inconformado dos jovens.

_Espaço IX – “Palavras flutuantes”

Corredor com cartazes como os usados nas recentes manifestações, com palavras-chaves do vocabulário de Cazuza, que mostram sua influência sobre os jovens até hoje.

_Espaço X – “Altar”

Os banheiros, tanto o feminino como o masculino, recebem luzes coloridas e projeções dos grandes momentos da juventude, da música e de rebeldia de Cazuza, que retratam sua irreverência nos palcos. Portas com tratamento acústico, como as dos estúdios de gravação, foram colocadas nos banheiros. 

2-APRENDIZADO

_Sala II – “Poesia e Música”

Sala dedicada a tratar da intensa relação entre poesia e canção. Por meio de computação gráfica, pílulas de conteúdo contextualizam esse “casamento” no Brasil e mostram como Cazuza e os compositores dos anos 80 enxergaram o cenário político brasileiro.

_Sala IV – “O Tempo não para”

Por meio de animações, é traçado um paralelo entre seis momentos da vida de Cazuza e a história brasileira – mostrando grandes marcos das trajetórias política e social do país.

3-INTERAÇÃO:

_Sala VI - “Cante com Cazuza”

O público pode escolher entre duas músicas – “Ideologia” e “Exagerado” –, que têm suas letras projetadas em telas e mescladas com imagens em computação gráfica, incentivando o visitante a cantar junto com Cazuza.

_Sala VII - “A arte de escrever canções”

Estações individuais com monitores touchscreen desvendam para o visitante a estrutura poética das músicas do artista, mostrando o que são versos e refrãos e como as rimas e assonâncias são construídas. Logo após a estrutura ser apresentada o visitante pode ouvir o artista cantando a música analisada.

_Sala VIII - “Cazuza por Cazuza”

É composta por livros cenográficos gigantes sobre os quais são projetadas palavras-chave. Por meio de um sensor de presença localizado em cada livro, o visitante escolhe um assunto e assiste a um depoimento de Cazuza relacionado ao tema. No mesmo ambiente, há ainda grandes painéis com fotos do artista.

O Museu da Língua Portuguesa agradece a todos os responsáveis pela realização desta exposição, mas agradece especial e carinhosamente à Lucinha Araújo: por sua colaboração,entusiasmo, seu trabalho frente à VIVACAZUZA e por sua energia e alegria contagiantes!

Comentários
0 Comentários

0 COMENTE AGORA! Com seu Facebook ou Gmail:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Sua participação é muito importante!

É de fãs que participam de que o Rock Nacional Precisa!

Só não serão tolerados preconceitos e ofensas a quem quer que seja, pelo bem do Rock Nacional.

Linkwithin













#CAMPANHA @SigaRockBrasil

Desafiamos a todos o fãs de Rock Nacional a se unirem neste espaço democrático e provarem que independente do que a mídia tenta impor, nada substitui o bom e velho Rock Nacional. Siga o blog, divulgue, comente... É muito fácil, até crianças de 12 anos se únem por suas bandas favoritas e dominam a mídia! É, temos que conviver com o fato de que se trancar no quarto e ouvir seus hits não faz o Rock Nacional ganhar mais fãs e, em vez de promovê-lo, ajuda a acabar de matá-lo! Junte-se a nós.